COVID-19 – Decreto determina o uso obrigatório de máscara em Barbacena

Flexibilização da economia só deverá ocorrer quando as microrregionais de saúde tiverem 70 por cento de condição clínica assistencial, afirma secretária

Paulo Emílio Gonçalves/Portal CB

Um decreto municipal assinado pelo prefeito Luís Álvaro e publicado no Diário Oficial do município nesta segunda-feira (04), determina o uso obrigatório de máscaras e outros equipamentos de proteção em Barbacena. A medida já está em vigor e vale para todos os e espaços públicos da cidade – incluindo ruas, avenidas e estabelecimentos – enquanto durar a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

De acordo com o documento, as máscaras poderão ser de tecido, polímero, costura ou descartáveis. O objetivo é diminuir os riscos de contaminação pelo novo Coronavírus. O uso de máscaras é uma orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o enfrentamento da pandemia. No entanto, a recomendação continua para que a população saia de casa somente em casos de extrema necessidade.

Barbacena já registrou duas mortes por Covid-19 e ainda existe um óbito em investigação no momento, segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (Sesap), divulgado na noite de ontem, segunda-feira. A cidade ainda conta com onze casos confirmados da doença. O boletim informa também que 473 pessoas estão com suspeita de Coronavírus, sendo que onze estão internadas. A Secretaria Municipal de Saúde já descartou 132 casos de Covid-19 e cinco pacientes foram curados no município.

Comércio deverá continuar fechado

O comércio de Barbacena, previsto para voltar a funcionar de maneira gradual esta semana, ainda deverá continuar fechado, funcionando apenas os serviços essenciais.

Em entrevista coletiva no final da tarde desta segunda-feira, através da internet, a secretária municipal de Saúde, Marcilene Dornelas de Araújo informou que a flexibilização da economia só será possível quando as microrregionais de saúde apresentarem 70 por cento de condição clínica assistencial. “Enquanto as microrregionais de saúde não tiverem pelo menos 70 por cento de condição clínica assistencial – não depende apenas de Barbacena – nós não iremos avançar do que está proposto hoje”, destacou Marcilene. “A gente só vai flexibilizar à medida que for avançando macrorregionalmente falando”, explicou a secretária.

O prefeito Luís Álvaro, que comandou a entrevista, disse que não fará nenhuma ação individualizada. A macrorregião Centro-Sul envolve mais de 50 cidades e Barbacena é um dos municípios pólo. A decisão foi tomada em conjunto com representantes das microrregiões de São João Del Rei, Conselheiro Lafaiete e Congonhas.

Estiveram presentes também na coletiva o médico infectologista da Sesap, Herbert Fernandes e outros profissionais que compõem o sistema de saúde da Prefeitura de Barbacena.

Total Page Visits: 627 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *