FLEXIBILIZAÇÃO – Com a melhora dos índices na macrorregião, Barbacena avança no plano ‘Minas Consciente’

Atividades como auto-escolas, lojas de artigos esportivos e floricultura poderão voltar a funcionar a partir deste sábado

A macrorregião de Saúde Centro-Sul, onde Barbacena está inserida, vai avançar novamente para a “onda branca” do plano Minas Consciente, que permite a reabertura segura de atividades como auto-escolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas. A decisão foi tomada pelo Comitê Extraordinário Covid-19, na última quarta-feira (08), após o grupo técnico constatar que a macrorregião apresentou melhora nos dois principais índices (leitos/ocupação e taxa de contaminação) considerados para avanço ou retrocesso nas ondas. A mudança passa a valer a partir de amanhã, sábado (11), com a publicação no Diário Oficial.

A macrorregião Centro-Sul já chegou a avançar para a onda branca e retornou para a verde no dia 27 de junho, após o Comitê Extraordinário Covid-19 constatar a superlotação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na região.

O governador Romeu Zema (Novo) destacou que os bons resultados apresentados durante o momento mais crítico da pandemia, com pico previsto para a próxima segunda-feira (13), podem estar relacionados ao cumprimento dos protocolos propostos pelo Minas Consciente. “A região Centro-Sul possui a maior taxa de adesão do estado, com 37 dos 51 municípios inscritos no plano. Ela tem tido um número de casos bem inferior à curva de Minas, com capacidade de reserva em seu sistema de Saúde. Por isso, está avançando uma onda neste momento. O que eu gostaria é que nas próximas semanas, após o pico da pandemia, outras regiões venham a trilhar o mesmo caminho”, afirmou Zema.

Com o avanço, a Centro-Sul se une às macrorregiões de Saúde Leste do Sul, Norte e Sul, que continuam apresentando taxa de ocupação de leitos controlada até o momento e seguirão os protocolos da onda branca por mais uma semana. As outras dez regiões do estado serão mantidas na onda verde, quando é permitida a abertura somente de serviços essenciais, a exemplo de padarias, supermercados e farmácias.

Cuidados

Diante da proximidade do pico da pandemia, Romeu Zema pediu para que os mineiros de todas as macrorregiões redobrem as medidas de proteção e o distanciamento social na próxima semana, para evitar a sobrecarga do sistema de Saúde. “Nesta semana nós tivemos um novo aumento no número de óbitos, o que, infelizmente, está dentro do previsto por especialistas, estatísticos e epidemiologistas. Isso deve perdurar até a próxima semana, quando vamos atingir o pico da curva. Adiamos ao máximo esse momento, mas, agora, neste mês de julho, ele realmente está chegando”, alertou.

O governador pediu para que a população não entre em pânico, mas tome todas as medidas necessárias para garantir a própria proteção e a dos demais. “É o momento de maior alerta, em que todos precisam redobrar os cuidados, porque os leitos hospitalares, tanto clínicos quanto de UTI, estarão mais ocupados. É a hora que o sistema de saúde será mais demandado. Todos precisam fazer a sua parte. Recomendo o isolamento para quem pode. Para quem precisa sair, o distanciamento, o uso da máscara e também as medidas de higiene”, finalizou Romeu Zema.

Programa Minas Consciente

O programa Minas Consciente dividiu o setor econômico do estado em quatro fases (ondas), para flexibilização gradual das atividades. A onda verde permite apenas os serviços essenciais; a branca é a primeira fase da flexibilização, com abertura de atividades de baixo risco de contaminação; a amarela é a segunda, com a liberação dos serviços de médio risco; a vermelha, a terceira fase, é quando as atividades de alto risco voltam a funcionar.

As mudanças de ondas são avaliadas semanalmente pelo Comitê Extraordinário Covid-19. Além do governador e de todo o secretariado do Executivo mineiro, o grupo, criado especialmente para monitorar o avanço da epidemia no estado conta com representantes do Ministério Público do Trabalho, do Ministério Público de Minas Gerais, da Defensoria Pública, do Tribunal de Contas do Estado, entre outros órgãos estratégicos. O plano tem objetivo de orientar as prefeituras e fica a critério de cada prefeito aderir e seguir os protocolos em seu município. Os empresários que desejam reativar seus estabelecimentos devem consultar se a prefeitura local aderiu ao plano e seguir as orientações da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).

(Fonte: Agência Minas)

Total Page Visits: 809 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *