Hospital Ibiapaba pode parar de atender pacientes pelo SUS

Instituição barbacenense é referência para o Sistema Único de Saúde nas doenças cardíacas e no câncer

O Hospital Ibiapaba CEBAMS, de Barbacena, pode parar de receber pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), por falta de repasse de recursos pelo órgão. De acordo com uma nota divulgada nesta quinta-feira, 27, pelo Ibiapaba, que é referência para o SUS em doenças cardíacas e oncologia (câncer) em toda região, o que o hospital vem recebendo do sistema não é suficiente para cobrir os custos com o atendimento dos pacientes. Esses recursos são repassados pelo governo do estado à Prefeitura, que por sua vez os repassa para as instituições hospitalares que fazem atendimento pelo SUS, como é o caso do Ibiapaba.

Ainda segundo a nota, o problema maior está no chamado extra-teto, que é o não pagamento dos valores que ultrapassam o teto financeiro definido pelo sistema, ou seja, os pacientes do SUS, que segundo o Ibiapaba representam quase 30% do faturamento do hospital, são atendidos e não são pagos. O hospital afirma que esses recursos não entram nos caixas da instituição desde fevereiro do ano passado e, por isso, os fornecedores já estão parando de entregar os medicamentos que são destinados aos pacientes atendidos pelo SUS.

O Ibiapaba informou ao portal Cidade de Barbacena que o contrato com o SUS prevê 60 procedimentos cardiológicos por mês para toda a região, e que, no entanto, só no mês passado foram realizados 263 procedimentos, ou seja, 203 a mais do que o previsto e que não foram pagos pelo SUS. O hospital declarou também que esse fato vem ocorrendo todos os meses e que é o próprio governo do estado que envia esses pacientes para Barbacena.

De acordo o diretor geral do hospital, médico Luiz Eduardo Grisolia, se a situação continuar como está o Ibiapaba será obrigado a interromper, por tempo indeterminado, alguns atendimentos do SUS em cardiologia de alta complexidade e oncologia. “Nesse estágio de calamidade pública que vem se avizinhando, caso o SUS não pague o valor devido ao Hospital Ibiapaba CEBAMS, só será possível manter nossos atendimentos via SUS para casos extremamente urgentes”, afirmou Grisolia.

O portal CB apurou ainda que esta situação está ocorrendo não apenas no Ibiapaba, mas em quase todos os hospitais da cidade. A falta de recursos poderá colocar em colapso o atendimento pelo SUS em Barbacena, que atende toda a região Macro Centro Sul, onde concentra uma população de mais de 700 mil pessoas de 51 municípios.

O assunto deverá ser discutido na Câmara Municipal de Barbacena ainda nesta quinta-feira, 27. Os vereadores querem debater o assunto para cobrar dos órgãos competentes uma providência para se evitar um caos no Sistema Único de Saúde em Barbacena e região.

Confira abaixo a nota divulgada pelo Hospital Ibiapaba CEBAMS nesta quinta-feira.

“Barbacena, 27 de setembro de 2018

Estamos vivendo uma crise sem precedentes no Hospital Ibiapaba CEBAMS. Como é sabido, somos referência para o SUS nas doenças mais graves que atingem nossa população: as doenças cardíacas e o câncer. O que recebemos do SUS não cobre os custos do atendimento dos pacientes, mas o que mais nos pune é o chamado extra-teto. Ele se caracteriza pelo não pagamento dos valores que ultrapassam um teto financeiro definido pelo próprio sistema. Estes pacientes não pagos são enviados ao hospital pelo próprio SUS, são autorizados, auditados, mas simplesmente não são pagos. Estes pacientes representam quase 30% do nosso faturamento não pago desde fevereiro de 2017, portanto há 18 meses. Hoje já são vários fornecedores que não querem nos vender os medicamentos e outros insumos.

Precisamos do apoio de todos. O Hospital Ibiapaba CEBAMS é um patrimônio da comunidade e é o único certificado pela qualidade de seus serviços na norma internacional ISO 9001:2015.

Infelizmente, sem a retomada dos pagamentos do chamado extra-teto do SUS, não se vislumbra uma continuidade regular dos atendimentos extras do SUS. Caso não haja a regularização, o Hospital será obrigado a interromper, por tempo indeterminado, alguns atendimentos do SUS em Cardiologia de Alta Complexidade e Oncologia. Nesse estágio de calamidade pública que vem se avizinhando, caso o SUS não pague o valor devido ao Hospital Ibiapaba CEBAMS, só será possível manter nossos atendimentos via SUS para casos extremamente urgentes.

(Hospital Ibiapaba CEBAMS)”

O diretor do Hospital Ibiapaba CEBAMS, Luiz Eduardo Grisolia afirmou que se a situação continuar como está só será possível manter os atendimentos via SUS para casos extremamente urgentes
Total Page Visits: 1451 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *