Projeto de empresário prevê instalação de plataforma para cadeirantes em táxis de Barbacena

Carlos Alberto Pereira afirma que apresentou o projeto na Prefeitura em 2012, que chegou a ser transformado em lei em 2015, mas até o momento não foi colocado em prática

O empresário Carlos Alberto Pereira, que atua no ramo de loterias, apresentou na Prefeitura de Barbacena, em 2012, por intermédio do então vereador João Batista Rosa, um projeto que tem como objetivo facilitar a vida de cadeirantes que necessitam andar de táxi na cidade. O projeto “Táxi Acessível” consiste em implantar nos veículos um equipamento onde o cadeirante possa entrar e sair do carro em sua própria cadeira de rodas, através de uma plataforma elevatória (foto). De acordo com Carlos Alberto, esse equipamento já existe no mercado brasileiro e é fabricado por uma empresa credenciada pelo INMETRO. A sua adaptação pode ser feita em veículos como Fiat Doblo ou Chevrolet Spin, com um custo que gira em torno de R$ 40 mil.

O empresário, que não é cadeirante, relatou ao portal Cidade de Barbacena que o projeto foi apresentando na Prefeitura em maio de 2012, gestão da prefeita Danuza Bias Fortes, e enviado para o então secretário de Transportes, Marcelo Frederico Maximiano Senna, e que foi devidamente protocolado, sendo apresentado todos os benefícios que traria para a população barbacenense, caso fosse implantado na cidade. Segundo o idealizador do projeto, com a mudança de governo, em janeiro de 2013, os documentos protocolados desapareceram da Prefeitura.

Carlos Alberto Pereira afirmou que em 30 de janeiro de 2013 apresentou e protocolou junto à Prefeitura novamente o seu projeto, já na gestão do prefeito Antônio Carlos Doorgal de Andrada, o Toninho Andrada, para o novo secretário responsável pelo departamento de trânsito local, na época denominado Departamento de Trânsito e Transporte (DETTRAN), coronel Carlos Alberto Soares, que, segundo Pereira, demonstrou interesse na medida por ter formação na área de fisioterapia.

O empresário esclarece que os custos para a implantação do projeto seriam arcados pelos licitantes e a Prefeitura não teria nenhuma despesa. Ele ressalta que a ideia é colocar um veículo especial em cada ponto de táxi e que o equipamento oferece total segurança e conforto para os usuários, pois a cadeira de rodas fica ancorada no veículo. Carlos Alberto Pereira lembrou ainda que o sistema já é utilizado há vários anos em São Paulo, Belo Horizonte, Juiz de Fora e em outras cidades do país.

Segundo Pereira, o projeto chegou a ser transformado em lei em julho de 2015, com apoio do vereador Flávio Maluf, mas após o “vacatio legis”, que é o período que a lei passa a ter efeito legal para ser aplicada, que se deu em novembro do mesmo ano, nada foi feito.

O empresário e idealizador do projeto em Barbacena declarou que até o momento ainda não obteve nenhum apoio das autoridades municipais para implantar a medida. Ele acredita na sensibilidade do atual prefeito, Luís Álvaro Abrantes Campos, para que o projeto seja colocado em prática. “A  população barbacenense não pode ser privada desse direito e conto com a sensibilidade do nosso prefeito Luís Álvaro, que como engenheiro e profundo conhecedor das dificuldades de locomover que os cadeirantes enfrentam, e por todas as pessoas que serão atendidas com a implantação desse projeto, certamente não medirá esforços para colocá-lo em pratica”, afirmou. “Barbacena, como referência em atendimento médico para várias cidades circunvizinhas que buscam tratamento em suas diversas clínicas e hospitais, não pode deixar desamparada essa parcela que por muitas vezes é esquecida”, concluiu Carlos Alberto Pereira.

O Portal CB conversou com alguns taxistas para saber o que eles acham de uma eventual implantação do Táxi Acessível em Barbacena. Eles foram unânimes em afirmar que não concordam com a adoção da medida devido ao “baixo número de cadeirantes que procuram táxi na cidade”. Segundo os taxistas, esses clientes optam mais por seus veículos particulares ou coletivos urbanos que já possuem a plataforma. Os motoristas ressaltaram ainda que o equipamento “aumentaria o consumo de combustível devido ao seu peso”. Quanto aos veículos Fiat Doblo e Chevrolet Spin, que seriam os mais adequados para instalação do equipamento, a reportagem não encontrou nenhum desses dois modelos nos pontos visitados.

O Portal Cidade de Barbacena enviou e-mail para a Subsecretaria de Comunicação de Prefeitura e para o subsecretário de comunicação, Jayme Geraldo Ferreira Júnior, questionando se o atual governo municipal tem conhecimento do projeto Táxi Acessível e se o mesmo ainda existe nos arquivos da Prefeitura. O subsecretário Jayme Júnior respondeu o e-mail no dia 25 de julho, afirmando que enviou a mensagem do portal para os setores responsáveis e assim que tivesse uma resposta entraria em contato com um parecer oficial da Prefeitura sobre o assunto. Até o fechamento desta matéria, na manhã de hoje, 2 de agosto, este parecer não havia sido enviado à redação do Portal CB.

O empresário Carlos Alberto Pereira acredita na sensibilidade do atual prefeito para implantar o projeto Táxi Acessível em Barbacena (Foto: Portal CB)
Segundo o empresário, os documentos protocolados por ele sumiram dos arquivos da Prefeitura
Total Page Visits: 1597 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *