Academia Barbacenense de Letras terá novo acadêmico

O historiador e artista gráfico Edson Brandão vai ocupar a cadeira número 32 da ABL, que era do professor Newton Siqueira de Araújo Lima

O historiador e artista gráfico Edson Brandão (foto) será o novo membro da Academia Barbacenense de Letras (ABL). A posse será nesta sexta-feira, 30, em sessão especial aberta ao público, na Sala Ouro do Hotel Master Plaza, às 19 horas. O novo acadêmico vai ocupar a cadeira número 32 da ABL, na sucessão do professor Newton Siqueira de Araújo Lima, falecido em janeiro de 2018.

De acordo com o presidente da academia, Márcio Celso Rios, a entidade cumpre há mais de 40 anos a missão de divulgar e reunir informações e acervo da produção literária em geral, mas com foco nos autores locais ou com afinidades com Barbacena. “Nossa razão de existir é a causa do livro. Acima de nomes e interesses, as ações são feitas a partir dos estatutos e regimento. A nossa permanência se deve à vocação da casa pela reflexão, o debate, o repúdio ao preconceito e todas as formas de dominação que afetem o espírito, a inteligência e a liberdade”, define o professor e advogado que preside a ABL desde 1993, com a morte do fundador, Plínio Tostes Alvarenga.

A Academia Barbacenense de Letras conta, atualmente, com 34 membros efetivos e possui um quadro de membros correspondentes reunindo escritores e intelectuais de várias partes do Brasil.

O novo acadêmico

Edson Brandão é desenhista artístico, chargista, caricaturista, diagramador e pesquisador de história regional. A partir de 1985, Edson começou a publicar seus trabalhos no jornal carioca “O Pasquim”. Venceu mais de dez edições do Concurso de Desenhos Pasquim/Malt 90 de humor gráfico, cuja comissão julgadora incluía nomes como Paulo e Chico Caruso, Millôr Fernandes, Luís Fernando Veríssimo, Jaguar, dentre outros. Participou e foi premiado em diversos salões de humor no Brasil e exterior – Salão de Humor de Volta Redonda (RJ), Piracicaba (SP), Salvador (BA), Teresina (PI), Gabrovo (Bulgária) e Ancona (Itália).

Em 1986, foi contratado como chargista, ilustrador e redator do Jornal Cidade de Barbacena, um dos mais antigos jornais mineiros, que circulou de 1898 a 1993. Atuou como programador visual de vários espetáculos do grupo teatral Ponto de Partida. Fez os projetos museográficos das exposições permanentes do Museu da Loucura (incluindo a revitalização em 2016), Museu Municipal e Casa de Emeric Marcier, todos em Barbacena.

Em 2001, Edson Brandão criou a exposição itinerante “Crimes de Guerra em Tempos de Paz”, realizada a partir da série de reportagens "Nos Porões da Loucura", do jornalista Hiram Firmino. Foi diretor executivo e presidente da extinta Fundação Municipal de Cultura de Barbacena, entre 1993 e 2001, onde ajudou a implantar aparelhos culturais ainda em atividade e realizador de eventos como festivais de música, concertos, exposições de artes, colóquios e outras atividades artísticas e culturais.

Em 2002, foi secretário municipal de Comunicação de Barbacena, no mesmo ano foi condecorado com a Medalha Santos Dumont, pelo Governo de Minas Gerais, e em 2019 com a Ordem do Nascente do Poder Aéreo, concedida pela Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR). Autor de dezenas de capas de livros, discos e peças publicitárias, foi co-organizador e programador visual do livro “Colônia, Uma Tragédia Silenciosa,” lançado em 2008.

Em 2010, realizou a exposição “Meu Santo Protetor”, juntando arte digital com as obras sacras dos principais santeiros de São João Del Rei, na galeria do Centro Cultural da Universidade Federal de São João Del Rei. Edson é membro correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de São João Del Rei.

Em 2016, foi o curador da exposição “Marcier – 100”, mostra comemorativa do centenário do pintor Emeric Marcier (1916-1990), apresentada no Palácio das Artes, em Belo Horizonte.

Recentemente, Edson Brandão produziu o livro “Ernst Hasenclever e sua viagem pelas províncias do Rio de janeiro e Minas Gerais”, em parceria com a historiadora Debora Bendochi Alves, da Universidade de Colônia, Alemanha, e editado pela Fundação João Pinheiro. A obra resgata os diários e desenhos inéditos do viajante alemão Ernst Hasenclever (1814-1869).

O historiador e artista gráfico Edson Brandão vai ocupar a cadeira número 32 da ABL (Foto: Divulgação)
Total Page Visits: 1437 - Today Page Visits: 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *