TRAGÉDIA EM BRUMADINHO – Corpo do barbacenense Wanderson Valeriano é identificado no IML de Belo Horizonte

Leandro Rodrigues, também de Barbacena, ainda está na lista de desaparecidos

O corpo do barbacenense Wanderson Oliveira Valeriano, 35 anos (foto), que trabalhava na mineradora Vale e está entre as vítimas fatais da tragédia em Brumadinho, foi identificado no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte e será liberado na manhã desta quarta-feira, 30. O corpo deverá chegar a Barbacena no início da tarde e será sepultado no Cemitério da Boa Morte. Segundo informações de familiares, não haverá velório.

Wanderson era filho do sargento Valeriano, da Polícia Militar, é um dos dois barbacenenses que estavam no local na hora do rompimento da barragem do Feijão, no início da tarde da última sexta-feira, 25. Até o momento já foram contabilizados 84 mortos e 276 pessoas ainda estão desaparecidas debaixo dos rejeitos de minério. De acordo com a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, a chance de encontrar alguém ainda com vida no local é muito remota.

O outro barbacenense que estava na área devastada no momento do rompimento da barragem é Leandro Rodrigues da Conceição, 33 anos, morador do bairro Caminho Novo. Ele é técnico em segurança do trabalho e trabalha na Vale como funcionário terceirizado. O nome de Leandro está na lista de desaparecidos. A família dele está em Brumadinho para acompanhar as buscas.

A tragédia

A barragem do Feijão, localizada na cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, que pertence à mineradora Vale, se rompeu por volta das 13h30 da última sexta-feira, 25. Mais de 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério foram lançados e atingiram vários departamentos da empresa, além residências, pousadas, rios e áreas rurais. Centenas de pessoas estavam no trajeto da avalanche de lama no momento do rompimento, entre funcionários da empresa, turistas, moradores da região e produtores rurais. Até agora, 192 pessoas foram resgatadas com vida, 84 morreram e 276 ainda estão desaparecidas.

Esta foi a segunda tragédia com mineradora em pouco mais de três anos em Minas Gerais. No dia 5 de novembro de 2015 a barragem do Fundão, localizada em Mariana, que pertence à mineradora Samarco, se rompeu e destruiu o distrito de Bento Rodrigues, matando 19 pessoas. A lama percorreu vários quilômetros e atingiu o oceano atlântico. Esta foi considerada a maior tragédia ambiental da história do país.

Já o rompimento da barragem em Brumadinho não deverá ter um impacto ambiental tão grande como ocorreu em Mariana. No entanto, o número de vítimas fatais é muito superior, o que faz com que o episódio ocorrido na última sexta-feira seja considerado uma das maiores tragédias humanas do Brasil.

O barbacenense Wanderson Valeriano, 35 anos, é uma das vítimas fatais da tragédia de Brumadinho (Foto: Reprodução/Rede Social)
Leandro Rodrigues, 33 anos, também de Barbacena, está na lista de desaparecidos da tragédia (Foto: Reprodução/Rede Social)
A barragem do Feijão, pertencente à mineradora Vale, se rompeu no início da tarde da última sexta-feira, em Brumadino-MG; a avalanche de lama destruiu o que estava no caminho (Foto: Reprodução)
Total Page Visits: 1258 - Today Page Visits: 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *