Homem é preso em Santos Dumont durante ação policial contra o tráfico e exploração sexual de crianças

Operação “Black Dolphin” foi realizada em várias partes do país nesta quarta-feira

Paulo Emilio Gonçalves/Portal CB

Um homem de 39 anos foi preso em flagrante nesta quarta-feira (25) em Santos Dumont, a 45 quilômetros de Barbacena, durante a operação “Black Dolphin”, realizada pelas polícias Federal e Civil para combater o tráfico e a exploração sexual de crianças. A ação foi realizada em grande parte do país e cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul.

A Polícia Civil (PC) informou que o suspeito preso em Santos Dumont estava em casa quando os investigadores chegaram. No computador dele os policiais encontraram diversos materiais de pornografia infantil, entre fotos, vídeos e outras mídias digitais. O homem, que não teve o nome revelado, foi encaminhado para o presídio da cidade, onde permanece à disposição da justiça.

A operação

As investigações que deram origem à operação “Black Dolphin” tiveram início em 2018, após a polícia suspeitar de um homem que pretendia vender a sobrinha para receptadores de crianças na Rússia. O plano era levar a menina para a Disney, na Europa, e após entrega-la aos criminosos ele alegaria que a criança havia desaparecido no parque.

Diante destas informações, os investigadores passaram a monitorar a deep web e descobriram uma rede de criminosos sexuais, principalmente infanto-juvenis, que produzem, vendem e compram vídeos de crianças em situações de vulnerabilidade sexual. Há suspeita também de crime de sequestro e tráfico de crianças e adolescentes para fins de exploração sexual.

Em Minas, além do homem preso em Santos Dumont, foram detidos também outras duas pessoas, uma em Belo Horizonte e uma em Lavras, no Campo das Vertentes. De acordo com o delegado Diego Lopes, da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), sediada em Belo Horizonte, os suspeitos deverão responder pelos crimes de armazenamento de pornografia infantil, com pena que varia de um a três anos de reclusão, e de divulgação e compartilhamento de material pornográfico, cuja pena pode chegar a seis anos. O delegado disse ainda que existem outros crimes que podem ser configurados, como, por exemplo, organização criminosa.

Black Dolphin

“Black Dolphin” é o nome de uma prisão federal russa considerada uma das mais temidas do mundo. Conhecida como “Prisão dos Golfinhos Negros”, é uma instituição correcional localizada em Sol-Iletsk, região Orenburg Oblast, perto da fronteira com o Cazaquistão. Segundo a investigação, um dos chefes da organização dizia que as leis brasileiras são “ridículas” e no Brasil não haveria prisão para segurá-los, e que apenas a Black Dolphin poderia detê-los.

(Fonte: G1 Zona da Mata)

A polícia apreendeu mídias digitais contendo pornografia infantil com o suspeito em Santos Dumont (Fotos: Divulgação/PC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *