Lorenza Pinho, que pode ter sido assassinada pelo marido em BH, será sepultada nesta quarta-feira em Barbacena

Ela morreu no apartamento onde morava, na capital mineira, no dia 2 de abril; o marido, promotor André Luís Garcia de Pinho, está preso por suspeita de feminicídio

Paulo Emílio Gonçalves/Portal CB

O corpo de Lorenza Maria Silva de Pinho, de 41 anos, que morreu no dia 2 de abril em Belo Horizonte, será sepultado em Barbacena nesta quarta-feira (14). A informação foi passada pelo pai dela, o aviador aposentado Marco Aurélio Silva, de 72 anos, após o corpo da filha ser liberado nesta terça-feira (13), pelo Instituto Médico Legal (IML) da capital mineira, onde estava desde o dia de sua morte.

Lorenza Pinho (foto) morreu no apartamento onde morava com a família, no bairro Buritis, região oeste de Belo Horizonte, e o principal suspeito de um suposto feminicídio é o marido dela, o promotor de justiça André Luís Garcia de Pinho, de 51 anos, que está preso temporariamente desde o dia 4. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil (PC) e pela Procuradoria Geral de Justiça de Minas Gerais, e corre sob segredo de justiça.

André Luís nega o crime e afirma que a esposa morreu após passar mal por ter se engasgado. O advogado dele, Robson Lucas, alega que o promotor não tinha motivos para matar a esposa. “Eles atribuem ao André a prática de feminicídio porque no corpo da Lorenza constavam marcas roxas na região cervical e apresentava vazamento de sangue no nariz e boca”, disse Robson ao portal Uol.

Lorença será sepultada no cemitério da Boa Morte, no jazigo da família da mãe, ainda pela manhã. O horário do enterro não foi revelado e não haverá velório. O advogado do promotor informou à imprensa que não sabe se seu cliente poderá comparecer ao sepultamento. Segundo ele, vai depender de autorização judicial. Já o médico Bruno Sander, amigo da família e atual tutor dos cinco filhos do casal, disse que os filhos provavelmente participarão da cerimônia de sepultamento da mãe.

O laudo informando a causa da morte de Lorenza ainda não foi divulgado. Segundo o Ministério Público, a imprensa terá acesso ao documento somente após o término das investigações.

Lorenza Maria Silva de Pinho morreu no apartamento onde morava, em Belo Horizonte, no dia 2 de abril (Foto: Reprodução/Rede Social)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.