PM que matou ex-mulher e sequestrou a filha de 4 anos ainda continua foragido

Crime aconteceu na noite do último sábado em Santos Dumont

O soldado da Polícia Militar (PM) Gilberto Ferreira Novaes, de 35 anos, que matou a ex-mulher Sthefania Parenti Ferreira Novaes, de 29, e sequestrou a filha de 4 anos ainda está foragido. O crime aconteceu na noite do último sábado, 14, em Santos Dumont, a cerca de 45 quilômetros de Barbacena.

De acordo com o que foi apurado até o momento, o casal vivia em clima de muitas discussões e já estava separado desde janeiro deste ano, quando Stefhania pediu o divórcio. Gilberto não teria aceitado a separação e começou ameaçar a mulher, inclusive enviando mensagens pelo WhatsApp. Sthefânia registrou vários boletins de ocorrência na PM e devido às ameaças ela estava sob medida protetiva, mas mesmo assim o ex-marido não respeitou, a matou e sequestrou a filha do casal.

Vizinhos da família afirmaram à polícia que as discussões entre os dois eram constantes e de forma brutal, motivo pelo qual a mulher registrou as ocorrências e pediu proteção.

 

O crime

 

Na noite no último sábado Gilberto invadiu a casa de Sthefania no momento em que ela e o atual namorado abriram a porta para receber uma encomenda de lanche. O militar subiu as escadas às pressas e quando viu a ex-mulher disparou vários tiros em direção a ela, acertando três disparos. Logo após ele pegou a filha Lara, que estava em um outro cômodo, desceu correndo e fugiu num Fiat Palio de cor cinza, placa GWK-1390, que ele pegou emprestado com um amigo, deixando com este amigo o seu carro, um Honda Civic. Gilberto, que é lotado no 29º Batalhão da Polícia Militar, sediado na cidade de Poços de Caldas, sul de Minas, estava afastado das funções há cerca de dois meses por causa de problemas psicolócos. Segundo informações, os problemas psicológicos apareceram após Sthefania pedir a separação.

 

A caça ao assassino

 

As buscas pelo soldado Gilberto Novaes já entrou no quinto dia e até agora a polícia ainda não tem pistas dele e nem da filha sequestrada por ele. Os serviços de inteligência das polícias Militar e Civil estão atrás de vestígios que possam levar ao assassino e sequestrador. A Polícia Civil (PC) não diz muita coisa para não atrapalhar as investigações, mas tudo indica que o crime foi premeditado e que Gilberto teria, inclusive, sacado dinheiro para a fuga. Outro detalhe que reforça esta tese é o fato do assassino ter adquirido um carro emprestado para cometer o homicídio, possivelmente para fugir sem ser reconhecido.

Já a PM afirma que todos os municípios vizinhas a Santos Dumont já estão avisados, inclusive militares dos batalhões de Barbacena e de Juiz de Fora e de outras cidades estão em rastreamento constante. Informações dão conta ainda que as polícias de outros estados também já estão atrás de Gilberto, que pode ter ido para o nordeste ou para São Paulo, onde possui parentes e amigos.

 

Desespero dos familiares

 

Os familiares de Sthefania e da menina sequestrada estão desesperados. Os pais dela disseram que a neta Lara está doente e que precisa de cuidados. Eles pedem à população que avise imediatamente à polícia se tiver qualquer informação do paradeiro de Gilberto e da filha, ou até mesmo se virem o veículo que ele usou para fugir com a menina.

Sthefania foi morta no último com três tiros (Foto: Reprodução Facebook)
O ex-marido de Sthefania, Gilberto Novaes, ainda está foragido (Foto: Reprodução Facebook)
A filha do casal, Lara, de 4 anos, foi sequestrada pelo pai após o crime (Foto: Reprodução Facebook)
Total Page Visits: 1858 - Today Page Visits: 1

2 comentários em “PM que matou ex-mulher e sequestrou a filha de 4 anos ainda continua foragido

  • 26/04/2018 - 13:54 em 13:54
    Permalink

    Tem que condenar à prisão perpétua esse tal Gilberto Ferreira Novaes porque manteve em cativeiro sua filha Lara após sequestrá-la e matar sua esposa chamada Sthefania Parenti de Ferreira Novaes

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *