Polícia Federal volta a Barbacena para a terceira fase da operação ‘Desvia’

Nesta etapa estão sendo apuradas irregularidades na contratação de obras para construção de Unidades Básicas de Saúde

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira, 09, a terceira fase da operação “Desvia”. Desta vez o objetivo é combater crimes de corrupção, fraude em licitação e desvio de recursos públicos federais na contratação de obras para construção de Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Barbacena, entre os anos de 2013 e 2016, gestão do ex-prefeito Antônio Carlos Doorgal de Andrada, o Toninho Andrada.

A PF veio à cidade pela terceira vez, agora para cumprir mandados de busca e apreensão que foram expedidos pela 1ª Vara Federal de São João Del Rei. Além de Barbacena, Belo Horizonte e Itatiaiuçu também estão na mira da Polícia Federal. No total são 15 mandados de busca e apreensão nos três municípios.

Segundo o que foi apurado nas investigações até o momento, recursos federais foram disponibilizados para o município de Barbacena, que celebrou o contrato de empreitada nº 005/2016 com a construtora que venceu o processo licitatório nº 025/2015. A construtora também está sendo investigada e o valor do contrato, após aprovado um reajuste de 16% em agosto de 2016, é de R$ 2.708.869,99. O objetivo era construir Unidades Básicas de Saúde nos bairros Monte Mário, Santo Antônio e Santa Luzia, além dos distritos de Pinheiro Grosso e Torres. A PF informou que estas obras estão inacabadas e abandonadas.

De acordo com a Prefeitura de Barbacena, já foram realizados acordos para que a empresa que ficou em terceiro lugar no processo de licitação retome as obras das UBS citadas. No entanto, a PF afirma que a construtora terceira colocada também está sendo investigada por deixar obras inacabadas no município e, inclusive, foi alvo de busca e apreensão durante a segunda fase da operação “Desvia”.

Nesta terceira etapa, 65 policiais estão atuando nos três municípios envolvidos, além de dez audidores da Controladoria Geral da União (CGU) e sete auditores da Receita Federal do Brasil (RFB). Se as pessoas envolvidas forem condenadas, elas poderão cumprir até 28 anos de prisão.

As duas fases anteriores da operação “Desvia”

A atuação da Polícia Federal em Barbacena começou no dia 21 de maio passado, quando os agentes vieram à cidade para investigar possível fraude em licitação na Secretaria Municipal de Saúde, ocorrida em 2015 e 2016, também na gestão do ex-prefeito Toninho Andrada. Foram cumpridos, nesta primeira fase da operação, treze mandados de busca e apreensão, dez de bloqueio de bens e três de prisão temporária. (Confira: http://cidadedebarbacena.com.br/policia/pf-cumpre-mandados-de-prisao-temporaria-e-de-busca-e-apreensao-na-prefeitura-de-barbacena/)

Dois dias depois, em 23 de maio, a PF voltou à cidade para a segunda fase da operação, que teve como meta apurar fraudes em licitação, corrupção e desvio de recursos federais na contratação para ampliação do sistema de esgoto sanitário, construção de academias da saúde e de quadras poliesportivas em Barbacena. As supostas irregularidades também foram no governo de Toninho Andrada, entre 2013 e 2016. (Confira: http://cidadedebarbacena.com.br/policia/policia-federal-esta-em-barbacena-novamente-para-a-segunda-fase-da-operacao-desvia/)

Total Page Visits: 1565 - Today Page Visits: 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *