Adiado o julgamento que vai decidir sobre a cassação do prefeito e da vice-prefeita de Barbacena

Sessão realizada nesta quarta-feira foi interrompida após um dos desembargadores pedir vistas ao processo

Foi transferido para o dia 8 de agosto, próxima quarta-feira, o julgamento no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) que vai decidir sobre a cassação do prefeito de Barbacena, Luís Álvaro de Abrantes Campos, e da vice-prefeita, Ângela Maria Kilson (foto), ambos do PSB. O processo também inclui, como réu, o ex-prefeito Antônio Carlos Doorgal de Andrada, o Toninho Andrada, que antecedeu Luís Álvaro.

O julgamento que decidiria sobre o futuro dos três políticos, realizado nesta quarta-feira, dia 1º, no TER-MG, em segunda instância, começou pela manhã e foi interrompido quando um dos desembargadores pediu vistas ao processo. Durante a sessão, três dos sete desembargadores já haviam votado, sendo dois contra a cassação e um a favor.

Acusação

Luís Álvaro, Ângela Kilson e Toninho Andrada estão sendo julgados por suspeita de praticar irregularidades durante o pleito eleitoral de 2016, quando o atual prefeito e a vice foram eleitos. Os três já foram condenados, em primeira instância, pelo então juiz da 23ª Zona Eleitoral de Barbacena, Joaquim Martins Gamonal. De acordo com a sentença do magistrado, Luís Álvaro e Ângela Kilson ficariam inelegíveis por oito anos e ainda perderiam seus cargos. Toninho Andrada também ficaria inelegível por oito anos. O ex-prefeito e o atual ainda foram condenados a pagar uma multa de R$ 100 mil, cada. Os três negam as acusações.

Os advogados de defesa entraram com recurso no TRE-MG, que deve decidir agora o futuro dos três políticos barbacenenses.

O ex-prefeito Toninho Andrada também é réu no processo (Foto: Arquivo/CB)
Total Page Visits: 1197 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *