FRIO – Médico alerta sobre o aumento dos casos de gripes, resfriados e doenças respiratórias

Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais de 1,2 bilhão de pessoas têm risco elevado de contrair a gripe e suas complicações

É muito comum que com a chegada do frio aumentem os casos de gripes, resfriados e doenças respiratórias, as famosas “ites”. Por isso, a população deve estar atenta e preveni-las. Para facilitar a tarefa, o médico catarinense Aier Adriano Costa, que atualmente trabalha em Curitiba-PR e é coordenador da equipe médica do Docway – aplicativo que conecta o paciente com os serviços de saúde -, explica como essas doenças atacam o organismo humano e separou algumas dicas para amenizar os problemas causados nesta época do ano.

A primeira coisa a saber é que o organismo humano costuma combater sozinho essas doenças, eliminando-a do o corpo em cinco ou sete dias. “Nosso organismo está programado para isso. Na grande maioria dos casos ele mesmo elimina o vírus. Claro, devemos tomar cuidados básicos como beber bastante água para manter a hidratação, ter uma alimentação adequada e repousar bastante”, explica o médico.

Agora, se após esse período a pessoa apresentar os mesmos sintomas, podendo ser agravados por secreções amareladas ou esverdeadas no nariz e no ouvido ou pontos de inflamação e pus na garganta, é melhor procurar um médico. “Com a chegada do inverno, nosso organismo acaba ficando suscetível a essas doenças. Nosso sistema respiratório é basicamente mucosa com cílios, que tem a função de eliminar possíveis invasores. Com o frio, esses pelinhos sofrem, e vírus e bactérias entram com mais facilidade no nosso corpo”, complementa.

Segundo Dr. Aier, é bom evitar lugares fechados e sem ventilação, já que eles concentram um número maior de microorganismos, aumentando as chances de contágio. Por isso, não importa o local, seja ônibus, casa ou escritório, mesmo com as temperaturas mais baixas é importante que haja ventilação. “Ao chegar em casa, lave o nariz com soro fisiológico. Ele ajuda a limpar a poluição das vias respiratórias e eliminar possíveis invasores que causaram as doenças. Se o ar estiver seco, use um umidificador de ar ou uma toalha úmida no ambiente. Beba muita água, pois ela ajuda a prevenir as infecções”, avisa o médico..

Para prevenção da gripe, existe ainda a possibilidade de vacina. Idosos com mais de 65 anos, grávidas e crianças com idade entre 6 meses e 2 anos devem ser vacinados. O médico lembra ainda que esse método de prevenção não é aconselhável a pessoas com alergia a albumina, proteína encontrada no ovo e usada em sua fabricação. “O inverno tente a trazer mais doenças, mas medidas simples podem ajudar no combate. Seja uma gripe ou resfriado, ou até mesmo uma rinite ou sinusite, tais cuidados ajudam no dia a dia do paciente”, finaliza o Dr. Aier.

 

Dados mundiais

 

Segundo estima a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 1,2 bilhão de pessoas têm risco elevado de contrair a gripe e suas complicações. Desse total, 385 milhões são idosos acima de 65 anos, 700 milhões de crianças e adultos com doenças crônicas e outros 140 milhões de crianças. Estudos demonstraram que a vacina, no caso da gripe, pode reduzir em até 75% a mortalidade global. Quanto aos idosos que residem em lares especiais, a imunização pode diminuir em até 60% o risco de pneumonia e 68% o risco de internação.

Em 95% dos casos a gripe é causada por vírus e apenas 5% por bactéria. Em determinados casos, a infecção por vírus pode acabar facilitando a infecção por bactéria, já que por conta da infecção há uma redução das defesas. Segundo Dr. Aier Adriano Costa, a vacina não causa gripe nos pacientes imunizados, mas leva de quatro a oito semanas para ter eficácia plena. Por isso, a pessoa que tomou a vacina pode chegar a ficar doente nesse período.

(Fonte: Bruna Bozza – P+G Comunicação Integrada – Curitiba-PR)

O médico Aier Adriano Costa: “Com a chegada do inverno, nosso organismo acaba ficando suscetível a essas doenças” (Foto: Facebook)

 

Total Page Visits: 1399 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *