Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva faz campanha de conscientização sobre o câncer colorretal

Entidade está dedicando o mês de março para alertar a população em relação à doença

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED) fundada em 1975, e suas regionais nos estados brasileiros estão dedicando o mês de março para uma campanha de alerta à população sobre as doenças do trato digestivo, em especial o câncer colorretal.

De acordo com o médico José Dayrell de Lima Andrade (foto), presidente  da SOBED-MG e membro do corpo clínico do Hospital Ibiapaba CEBAMS, de Barbacena, o câncer colorretal é o segundo que mais mata no país. “Hoje, a chance de uma pessoa desenvolver a doença é da ordem de 4,3%, sendo que ela é mais comum em homens e mulheres com mais de 45 anos ou em pessoas que tenham casos já registrados na família”, diz o especialista. 

Dados apresentados pela SOBED indicam que no Brasil o câncer colorretal atinge mais de 40 mil pessoas por ano. Com o envelhecimento da população, estima-se que o número de mortalidade em virtude da doença aumente até 2025.

Ainda segundo o Dr. Dayrell, o dado mais preocupante é o fato de que 85% dos casos de câncer colorretal sejam diagnosticados em fase avançada, quando a chance de cura é muito menor. Por isso, os especialistas da endoscopia digestiva e as autoridades de saúde definiram o mês de março para fazer uma  conscientização da população,  estimulando a prevenção e o diganóstico precoce da doença.

“Em meio à grave pandemia da Covid-19, precisamos reforçar que exames e tratamentos de diversos tipos de cânceres, incluindo o colorretal, precisam ser feitos com todos os protocolos de segurança necessários. Isso porque muitas vezes esses tumores malignos podem ser fatais ou trazer sérias complicações à saúde. É preciso correr contra o relógio”, alerta a campanha da SOBED.

Ainda que seja uma doença considerada grave, o presidente da SOBED-MG diz que o  câncer colorretal tem cura. Mas faz uma ressalva: “quanto mais cedo iniciar o tratamento, mais chance de cura. As chances são diretamente relacionadas à fase do tumor quando o diagnóstico é feito. Essa probabilidade pode variar de 10 a 95%. Após o tratamento é preciso manter um  acompanhamento”, diz o Dr. Dayrell. 

O câncer colorretal

O câncer colorretal (CCR), que atinge o intestino grosso ou o reto, é um dos tumores malignos mais frequentes e que mais mata em todo o mundo. Pessoas com o maior risco são as que têm familiares com a doença, as que possuem hábitos de vida pouco saudáveis e homens e mulheres acima de 45 anos. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimou, no ano passado, o surgimento de 17.380 casos novos de câncer colorretal em homens e de outros 18.980 em mulheres até o final de 2021. O risco é do surgimento de 16,83 registros a cada grupo de 100 mil pessoas do sexo masculino e de 17,90 registros por 100 mil do sexo feminino.

Prevenção

As principais atitudes que as pessoas podem tomar como forma de prevenção contra câncer colorretal são:

– evitar o tabagismo e o uso exagerado de bebidas alcoólicas;

– fazer atividade física com regularidade;

– ter uma alimentação rica em fibras e livre de alimentos ultraprocessados e açúcares, com ingestão reduzida de carnes vermelhas;

 – estar em dia com consultas médicas;

 – fazer o rastreamento, que é a procura de uma doença em pessoas que não têm sintomas. Ele é indicado pois facilita o diagnóstico de lesões que antecedem o câncer.

Diagnóstico

Quanto mais rápido o diagnóstico e o início do tratamento, mais chances de cura. São sintomas do câncer colorretal:

– sangue nas fezes;

– alteração do hábito intestinal com diarreia, intestino preso ou alternância entre diarreia e intestino preso;

– dor abdominal, com cólica e emagrecimento sem uma causa conhecida.

Tratamento

O tratamento depende da fase da doença. Ele pode ser endoscópico com remoção do tumor por meio de colonoscopia ou, nos casos mais avançados, pode ser necessário cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Para um tratamento de sucesso é fundamental seguir as recomendações médicas. O quanto antes iniciá-lo, melhor. Novas tecnologias como aparelhos de endoscopia que permitem a identificação e o tratamento de lesões de forma segura e eficaz contribuem muito.

Devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a campanha de conscientização sobre o câncer colorretal, em Barbacena, está recebendo o apoio dos veículos de comunicação (para sua divulgação), da Unimed e do Hospital Ibiapaba CEBAMS.

(Fonte: SOBED-MG)

O médico José Dayrell de Lima Andrade, presidente  da SOBED-MG e membro do corpo clínico do Hospital Ibiapaba: “o câncer colorretal é o segundo que mais mata no país” (Foto: Divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *